Imagem capa - Guto em: mamãe foi trabalhar por Teca Avelar Fotografia
projetos autorais

Guto em: mamãe foi trabalhar

A maternidade não é uma tarefa fácil; em sua totalidade, ser mãe é um desafio atrás do outro. Dúvidas atrás de dúvidas, de medos, questionamentos, perguntas sem respostas e respostas que encontramos errando e acertando, dia após dia.
Uma das dores e dificuldades da mãe moderna é enfrentar a volta ao mercado de trabalho e, consequentemente, delegar os cuidados diários do seu bebê para alguém ou alguma instituição.

Independente da escolha de cada uma, seja na creche ou com a babá (avó, tio, vizinha), a mãe dessa criança vai trabalhar e passa o dia se perguntando: será que ele (a) comeu bem? Será que chorou pra tomar banho? Será que brincou com os amigos? Será que está feliz? Com saudade de mim? Será que estão cuidando bem dele (a)?

Eu já fui essa mãe: Sofia, até os três anos, antes de ir pra escola, tinha babá. E apesar de confiar plenamente nela, não raro eu me pegava pensando em como estaria o dia da minha menina.

E agora eu vim trazer as respostas para essas perguntas! Rá!
É com muito orgulho e carinho que lanço, hoje, o projeto MAMÃE FOI TRABALHAR, fotografia documental de bebês e crianças. E este projeto consiste em ser, através de imagens carregadas de sentimentos, a resposta para essa mãe que vai trabalhar e deixa seu bebê em casa aos cuidados de outra pessoa. Consiste em registrar algumas horas do dia do bebê e sua cuidadora / seu cuidador enquanto mamãe não está em casa. Consiste em acalmar o coração dessa mãe que vai receber as fotos no horário do seu expediente - separem as caixas de lenço!
Infelizmente foto não tem cheiro, nem dobrinhas, mas dá pra matar a saudade e aguentar até a hora de voltar pra casa. Não dá?


Inaugurando o Mamãe foi trabalhar, com vocês, a manhã do Guto, filho da Lena e do Pedro.
Guto é um menino calmo, carinhoso, tímido, e que sabe o que quer. Durante as horas que passamos juntos ele brincou com os amigos no play, comeu biscoito de polvilho, brincou em casa, almoçou, tomou um super banho e claro, dormiu. Na rede, que ele não é bobo nem nada. rs
Quando cheguei na casa dele, ele estava desconfiado, tímido com a minha presença. Nada que que eu não tenha conseguido reverter; como mostra a última foto do post, no final ele já estava me puxando pela mão me mostrando coisas pela casa. <3
E é exatamente a conquista dessa confiança que me faz ter a certeza de que eu estou nesse mundo fazendo exatamente o que eu deveria fazer.

Obrigada Lena por ter aberto a sua casa para que esse projeto ganhasse vida. Muito, mas muito obrigada MESMO!

Agora vamos ao que interessa?

Tem mais fotos? Tem sim!
Aqui, oh: https://vimeo.com/210524825















































--------------------------------------




Guto e eu; ele me levando pela casa segurando forte no meu dedo. Tem como não amar?