Imagem capa - Eu uso óculos - Sofia por Teca Avelar Fotografia
projetos autorais

Eu uso óculos - Sofia



Há dois anos, mais ou menos, Sofia começou a usar óculos. Por insistência da avó paterna, levei-a ao oftalmo e descobrimos que ela tem astigmatismo e hipermetropia em graus altos.
Ela sempre assistiu televisão muito de perto e a avó achava isso estranho. Fora isso, nunca houve nenhum comportamento que denunciasse os probleminhas. Segundo a médica, ver televisão de perto não é exatamente um sintoma já que crianças gostam dessa proximidade e "interação"com a tv, personagens, etc. Mas que pode sim, ser um indicativo de algo errado (como é no caso dela).

---------------------



De lá pra cá, aprendemos algumas coisas, sofremos com outras. O primeiro óculos, por exemplo, deixamos ela escolher no intuito de ser um estímulo para que ela usasse o mesmo (no caso,  ela deve usar o óculos all the time, pensa na dificuldade disso pra uma menina super vaidosa?!). Não deu certo; depois de um tempo ele ficou frouxo, caindo do rosto e sem jeito de ser ajustado sem quebrar. E mais: a lente era estreita, um modelo pequeno, menor do que deveria ser.




Fizemos um segundo modelo, dessa vez ela escolheu a cor e eu como seria; esse lindinho que está com ela nas fotos. <3
Não tem sido fácil; a verdade é que ela não gosta de usar o óculos, diz que nenhuma amiga da sala usa óculos (hoje um amiguinho novo, que entrou depois também usa, ufa!), não gosta de ir pra festas com ele (mãe, não gosto de usar roupa de festa e óculos), esquece de usar e a batalha é diária à base de muita conversa, algumas brigas e desistências (da minha parte, claro. E infelizmente).
E a verdade é que ela usa bem menos do que deveria, mas sigo tentando. rs



Foi dessa batalha que surgiu a ideia: vou criar um projeto e vou fotografar crianças que usem óculos!
Sofia, vaidosa como ela só, adorou!
Fazer dela a inspiração do meu primeiro projeto autoral foi o jeito que encontrei de fazer com ela se sinta especial apesar de qualquer diferença.  Foi a maneira divertida que achei de mostrar pra ela tantas outras crianças lindas que também usam óculos.
Mais do que isso, a ideia desse projeto é: convidar os pais de todas as crianças a acessarem o blog, para que mostrem os posts do projeto para seus filhos. E que dessa forma, se abra um diálogo sobre as diferenças, sobre como cada criança é linda e especial exatamente por ser única.
Espero que crianças que usam óculos se reconheçam nessas fotos. Que se divirtam e vejam com seus pais as fotos, que leiam e saibam da história de cada um.
E mais importante ainda: quero que esse debate esteja principalmente nas casas de crianças que não usam óculos. Que seus pais leiam as histórias, mostrem as fotos e falem sobre como cada criança é. Que usar óculos seja só uma porta de entrada para falar sobre as diferenças.
Aos cinco anos, quase seis, Sofia já chegou em casa com diversos assuntos para falarmos sobre como todos somos diferentes. De amigos mais altos, mais baixos, mais morenos, com ou sem pai, com uma ou duas mães, com cicatrizes, crianças especiais... Ela mesma nasceu com um hemangioma (essa manchinha vermelha no rosto) e sempre uso a sua marca como uma forma de explicar porque e como devemos respeitar o outro: mamãe tem tatuagem, você tem sua manchinha, fulana cabelos enrolados, ciclana é mais baixa, e por aí vai.
No final eu sempre digo e repito: mas nada disso importa, somos todos diferentes, todos lindos e especiais do jeitinho que são.

E não são?
Enfim, que o debate saia da minha casa para a sua, para a dos seus amigos, do outro, e outro e de mais um monte de pessoas. <3

Agora vamos ver mais fotos lindas desse post que é apenas o primeiro de muitos?
Vamos!







Tem uma história legal sobre óculos? Conhece alguma criança que use óculos  e que queira participar do projeto?
Tem alguma história bacana sobre qualquer diferença e quer me contar?

Me escreve: teca.avelar@gmail.com

Vai ser um prazer trazer cada vez mais gente pra esse espaço. Vai ser incrível poder falar e aprender sobre o outro.

É disso que o mundo precisa.

Beijos, Teca.